"Avenida Brasil" está de volta no "Vale a Pena Ver de Novo"

Novela de João Emanuel Carneiro era uma das mais pedidas para reprise.

Fique por dentro da história de "Médicos: Línea de Vida"

Novela protagonizada por Livia Brito e Daniel Arenas é a grande estreia da semana no Las Estrellas.

"El Dragón" estreia nos Estados Unidos pela Univisión e terá lançamento pela Netflix

Trama é protagonizada por Sebastían Rulli, Renata Notni e Irina Baeva.

"A Escrava Isaura" está de volta da Record TV

Novela protagonizada por Bianca Rinaldi estreia hoje, dia 7 de Outubro, na faixa vespertina do canal.

Aberturas de Novelas - Caminos Cruzados (Televisa, 1994 / 1995)

Trama é adaptação de uma novela brasileira.

Notícias

segunda-feira, 29 de abril de 2019

"Por Amor" volta à tela do "Vale a Pena Ver de Novo"

Divulgação: TV Globo

Grande sucesso da década de 90, "Por Amor" Volta mais uma vez ao "vale a Pena Ver de Novo". Escrita por Manoel Carlos, a trama foi produzida em 1997, alcançou grande audiência e repercussão.
Na trama, Helena (Regina Duerate) é mais do que mãe, é a grande amiga de sua filha Maria Eduarda (Gabriela Duarte). E faz de tudo para que ela aceite o pai Orestes (Paulo José), um alcoólatra. Mas Eduarda só tem olhos para o seu grande amor, Marcelo (Fábio Assunção). O rapaz sofre com a perseguição da ex-namorada, Laura (Vivianne Pasmanter), inconformada por ter sido preterida. A mãe de Marcelo, Branca (Susana Vieira), também não gostou da escolha do filho.
Branca é uma mulher de personalidade forte e que adora mandar na vida dos outros. Tem adoração pelo filho Marcelo, mas despreza os outros dois, a personalística Milena (Carolina Ferraz) e o reservado Leonardo (Murilo Benício). Branca também controla a vida da amiga Isabel (Cássia Kis Magro), que tem um caso com Atílio (Antônio Fagundes), um homem que está a procura de um grande amor. Mas Branca é na verdade apaixonada por Atílio e fica transtornada quando descobre que ele e Helena iniciaram um romance.
Helena e Atílio se casam, assim como Eduarda e Marcelo – para a infelicidade de Branca, Isabel e Laura. Mãe e filha engravidam na mesma época e acabam dando a luz no mesmo dia e horário, no mesmo hospital, aos cuidados do jovem médico César (Marcelo Serrado), eterno apaixonado por Eduarda. O filho de Helena nasce saudável, mas Eduarda sofre complicações no parto e seu bebê morre logo depois. Para complicar a situação da moça, ela nunca mais poderá ter filhos.
Helena imagina que será um golpe duro demais para a filha e faz um pacto com o médico: troca as crianças. Eduarda cria o irmãozinho pensando que ele é filho, enquanto Atílio sofre pensando que o filho nasceu morto. A única pessoa que sabe desse segredo é César, que concordou com a troca pelo mesmo propósito que a mãe: não fazer Eduarda sofrer. Mas o sofrimento maior é de Helena, que é obrigada a tratar o filho como neto. E ainda vê seu relacionamento com Atílio desmoronar, apesar do grande amor que sentem um pelo outro.
"Por Amor" estreia hoje, às 5 da tarde, logo após os últimos capítulos de "Cordel Encantado".

sexta-feira, 26 de abril de 2019

Trailer de nova versão de "La Usurpadora" divide opiniões

O elenco de "La Usurpadora" é apresentado à imprensa
Divulgação: Televisa

Há poucos dias foi divulgado na rede o primeiro trailer na nova versão de "La Usurpadora", primeiro produto do projeto "Fábrica de Sueños", em que clássicos da teledramaturgia mexicana serão gravados em formato de séries curtas, de 20 a 25 capítulos, com o objetivo de atender as novas plataformas disponíveis no mercado. Em poucos dias de divulgação, as opiniões são as mais diversas. No entanto, basta uma pesquisada rápida na rede para comprovar que o material apresentado não agradou parte dos internautas, que esperava algo mais próxima da versão de 1998.
De acordo com Patricio Wills, o atual presidente da Televisa Studios, o projeto terá os melhores produtores e diretores do ramo, a tecnologia mais avançada, assim como a previsão de um alto custo de produção para cada obra, a abordagem multiplataforma dentro de um contexto mais atual.

Andrés Palacios, Sandra Echeverría e Arap Bethke encabeçam o elenco principal de "La Usurpadora"
Divugação: Televisa

A nova versão de "La Usurpadora" está ambientada dentro do mundo da política. Aqui, vemos Carlos Bernal (Andrés Palacios) como o presidente do México, sua esposa é Paola Miranda (Sandra Echeverría), a primeira-dama. Já Paulina Doria (Sandra Echeverría) é uma ativista social. Paola é uma mulher frívola com um forte desequilíbrio emocional, enquanto Paulina é uma generosa e incansável protetora de crianças indefesas. Neste contexto, Paulina será forçada a assumir a identidade de sua irmã, quando ela abandona sua própria família e decide começar uma nova vida com seu amante.
No elenco, Sandra Echeverría, Andrés Palacios, Arap Bethke, Queta Lavat, Ana Bertha Espín, Juan Carlos Barreto, Macarena Oz, Germán Bracco, Daniela Schmidt, Montserrat Marañón, entre outros.
A nova versão de "La Usurpadora" é uma produção de Carmen Armendáriz. Sua estreia está prevista para o segundo semestre no México, em horário nobre no Las Estrellas.

Divulgação: Televisa

terça-feira, 23 de abril de 2019

Trilhas de Novelas - Oh, Pretty Woman (Uma Rosa Com Amor)

Divulgação: SBT

Em 2010, Tiago Santiago recebeu a missão de realizar a adaptação de "Uma Rosa Com Amor" para o SBT. A história de Vicente Sesso foi produzida entre 1972 e 1973 pela TV Globo com sucesso. Os papéis principais, que foram interpretados anteriormente por Marília Pêra e Paulo Goulart, foram defendidos por Carla Marins e Cláudio Lins.
A trama de "Uma Rosa Com Amor" gira em torno de  Serafina Rosa Petrone (Carla Marins), uma secretária pobre, solteirona, romântica e atrapalhada. Moradora de uma vila, dominada pelos pais italianos, Giovanni (Edney Giovenazzi) e Amália (Betty Faria), seu maior sonho é se casar. Todos os dias, Serafina compra uma rosa para si mesma e pede à floricultura que a envie ao escritório onde trabalha com um cartão escrito “Para Serafina, uma rosa com amor!”. Ela é completamente apaixonada pelo patrão, o rico industrial francês Claude Antoine Geraldy (Cláudio Lins). Porém, o ama em segredo, já que ele mal repara nela.
Para resolver negócios escusos de sua empresa e a sua situação ilegal no Brasil, Claude propõe a Serafina um casamento fictício. Um viria a preencher as necessidades do outro por meio de uma união com data de expiração. A jovem aceita porque, com o dinheiro que irá receber, poderá impedir a demolição da vila onde moram sua família e amigos. E Claude só não se casa com a namorada, a arrogante milionária Nara Paranhos de Vasconcellos (Mônica Carvalho), porque ela ainda está casada com o ex-marido, Carlos (João Vitti), que se nega a dar-lhe o divórcio.
Casados, Claude e Serafina não contavam que fossem acabar se apaixonando, apesar dos universos tão distintos: ele, um homem sofisticado, e ela, de uma família simplória. Quem não se conforma com a situação é Nara, que perdeu o namorado e uma chance de engordar sua fortuna por meio de um plano de seu pai, o ardiloso Egídio (Carlo Briani), em se apossar dos negócios que Claude tem no Brasil.
Para os momentos de dificuldade, solidão ou desesperança, antes ou depois do dinheiro, Serafina Rosa pode sempre contar com o apoio e carinho do velho Pimpinoni (João Acaiobe), amigo e vizinho da vila que, com suas marionetes, conta histórias de sabedoria e cumprimenta a filha dos italianos com a carinhosa frase “Buona sera, Serafina!”.
"Uma Rosa com Amor" foi a terceira novela de um novo ciclo no SBT, iniciado em 2009 com "Revelação", voltando a apostar em novelas nacionais. A novela ficou muito aquém das expectativas da emissora de Silvio Santos, que esperava pelo menos 10 pontos de média. A história de Serafina e Claude só esboçou alguma reação nos últimos capítulos. Apesar do desempenho apático em sua primeira exibição, a trama foi reprisada em 2011 na faixa vespertina do canal. No exterior, Peru, Venezuela, El Salvador, Angola e Moçambique foram alguns dos países que exibiram a novela do SBT.
Na coluna desta semana, relembre o tema principal da novela, que é mais do que conhecido. Interpretado por Roy Orbison, a música Oh, Pretty Woman foi imortalizada ao integrar a trilha sonora do filme "Uma Linda Mulher", de 1990.

 

segunda-feira, 22 de abril de 2019

Fique por dentro da história de "Jezabel"

Divulgação: Record TV

Após um acordo entre dois reinos, a dissimulada Jezabel (Lidi Lisboa) se casa com o príncipe Acabe (André Bankoff) e se torna a mais perigosa rainha de Israel. Aproveitando do perfil fraco e submisso do marido, a moça passa a comandar com violência o reino e manipular todos à seu redor, auto-intitulando-se uma grande sacerdotisa e porta-voz divina, além de recorrer à violência e sacrifícios públicos para mostrar seu poder. Ela tem como aliados o cruel Hannibal (Rafael Sardão), seu amante e principal guerreiro, e Thanit (Mônica Carvalho), sua ambiciosa melhor amiga, que a influencia com planos cada vez mais bárbaros, além de Baltazar (Alexandre Slaviero), um ex-profeta casado com Temima (Juliana Schalch), a quem trata com machismo e inferioridade. O maior contraponto da rainha é o profeta Elias (Iano Salomão), que tenta desmascará-la e tirá-la do poder com o auxílio de diversos aliados. Isso faz com que Jezabel contrate a ninfeta Dido (Juliana Xavier) para seduzir Eliseu (Ronny Kriwat), discípulo de Elias, para descobrir os planos do profeta.
Também na luta contra a rainha estão Isaac (Leonardo Miggiorin), Matheus (Bernardo Velasco) e Obadias (Juan Alba) – administrador do palácio que trabalha como espião em favor da luta dos profetas contra a rainha má, além de viver um drama com suas filhas: Joana (Camila Mayrink), que se tornou prostituta, e Samira (Laís Pinho), que foi sequestrada há anos. Ainda há outras histórias, como de Hannah (Juliana Boller), uma camponesa noiva de Tadeu (Victor Sparapane), mas alvo constante das investidas do irmão deste, Abner (Daniel Blanco), capaz de tudo para tê-la. O pai dos irmãos, Nabote (Flávio Galvão), sofre com a tentativa de Jezabel de tomar à todo custo sua vinha por capricho. Já os pais de Hannah e Eliseu, Safate (Giulio Lopes) e Dalila (Narjara Turetta), vivem uma humorada relação, uma vez que ele sempre tem que esconder a comida para a esposa não devorá-la descontroladamente. Levi (Léo Cidade) é ajudante do explorador Phineas (Eduardo Lago), na taberna de vinhos e vive um romance atrapalhado com a temperamental Leah (Bárbara Maia).
Queila (Juliana Knust) passa a viver como fugitiva após trair Jezabel ao contar para Acabe que o casamento foi um golpe de poder, tendo um romance com o general Barzilai (Timóteo Heiderick). Filha de Emanuel (Henri Pagnoncelli) e Yarin (Andréa Avancini), Raquel (Sthefany Brito) é uma moça a frente do tempo que não pensa em casamento, mas se apaixona a primeira vista por Micaías (Guilherme Dellorto). Já Aisha (Adriana Birolli) é a doce primeira esposa de Acabe, que tenta fazer o rei perceber que é manipulado por Jezabel.

sexta-feira, 19 de abril de 2019

A Dona do Pedaço - Primeiro Promocional

Foto: Reprodução

Já está no ar o primeiro promocional de "A Dona do Pedaço", a nova novela das 9 da TV Globo. Escrita por Walcyr Carrasco, colaboração de Nelson Nadotti, Márcio Haiduck e Vinicius Vianna e com direção artística de Amora Mautner, a novela  enaltece o poder feminino por meio da trajetória de Maria da Paz (Juliana Paes), uma jovem humilde, da cidade fictícia de Rio Vermelho, no Espírito Santo. Maria vem de uma família de justiceiros profissionais, os Ramirez, e se apaixona justamente por Amadeu (Marcos Palmeira), advogado formado em Vitória e membro do clã rival nos negócios, os Matheus. A trama, dividida em um prólogo e duas fases, traz uma história de amor com elementos à Romeu e Julieta, sem perder o humor, que permeia todo o folhetim.
Prevista para estrear em Maio, "A Dona do Pedaço" será a substituta de "O Sétimo Guardião". Sua data de estreia deverá ser divulgada nas próximas semanas.

quinta-feira, 18 de abril de 2019

Aberturas de Novelas - La Dueña (Televisa, 1995)

Pôster da novela "La Dueña"
Foto: Montagem / Reprodução

Em 1995, a Televisa produziu a novela "La Dueña". A trama escrita por Carlos Daniel González e Alejandro Orive é uma adaptação de "La Doña", obra original de Inés Rodena que foi levada à televisão pela primeira vez na Venezuela, em 1972. Florinda Meza (a Dona Florinda do seriado "Chaves" e esposa do eterno Chespirito) é quem assina a produção geral da novela.
Na trama, Regina Villarreal (Angélica Rivera) é uma bela jovem, dona de uma grande fortuna deixada por seus pais quando morreram. Ela vive com sua tia Berenice (Norma Herrera), a quem ama como uma mãe de verdade, e sua insuportável prima Laura (Cynthia Klitbo), assim como sua inseparável babá Martina (Josefina Echanove). Laura inveja sua prima acreditando que ela merece mais do que tudo o que Regina tem. Por esse motivo, ela busca maneiras de fazê-la sofrer. Primeiro ela se envolve com Mauricio (Eduardo Santamarina), o noivo de Regina que só a quer por interesse.
No dia do casamento, Regina é abandonada por Mauricio no altar. Decidida a esquecer a decepção que sofreu, ela se muda para sua fazenda "Los Cascabeles", bem longe da capital. Transformada em uma mulher ressentida e amarga, "A Dona" como seus empregados a chamam, torna-se indomável, também sendo apelidada pelos vizinhos do povoado como "Víbora", já que o capataz de sua fazenda, Macario (Salvador Sánchez), comete crimes em seu nome sem que ela saiba disso.
Naquele lugar, Regina conhece José María (Francisco Gattorno), o proprietário da fazenda vizinha "Los Encinos". Os dois se apaixonam, mas Regina decide esconder seus sentimentos por medo de que se repita sua experiência ruim. Ao mesmo tempo, sua tia e prima chegam aos "Los Cascabeles". Macario se apaixona por Regina e, junto com Laura, pretende afastá-la de José María.
Laura também se apaixona por José María e, por essa razão, Regina será agora o alvo de sua prima, embora "A Dona" não irá permitir que o coração de seu amado seja roubado.
"La Dueña" figura entre as novelas de maior sucesso da década de 90. Há pelo menos 7 versões diferentes desta mesma história, produzidas na Venezuela, no México e no Brasil. Embora "La Dueña" não tenha sido exibida por aqui, o SBT produziu sua própria versão entre 2001 e 2002 com o nome de "Amor e Ódio", trazendo Susy Rêgo e Daniel Boaventura nos papéis principais. Outra versão bastante conhecida no Brasil é "A Dona" ("Soy Tu Dueña"), produzida pela Televisa em 2010, exibida no SBT em 2015 e atualmente em cartaz em sua primeira reprise, com Lucero e Fernando Colunga nos papéis principais.
Na coluna desta semana, confira a abertura original de "La Dueña". O tema principal é uma versão instrumental da música Tengo Todo Contigo, interpretada por Alberto Ángel "El Cuervo".

Créditos: Televisa

domingo, 14 de abril de 2019

Fique por dentro da história de "Malhação - Toda Forma de Amar"

Foto: Reprodução

A parir de amanhã, dia 16 de Abril, “Malhação” estreia uma nova temporada. Com o subtítulo “Toda Forma de Amar” a trama promete abordar as mais variadas histórias de amor. Escrita por Emanuel Jacobina, a novela conta com a supervisão artística de Carlos Araujo e direção artística de Adriano Melo. 
O pontapé inicial desta temporada será uma revelação que mudará do dia pra noite o destino de Rita (Alanis Guillen), uma mãe adolescente. Durante a missa de sétimo dia de seu pai, ela descobre que sua filha dada como morta, na verdade, está viva!
Disposta a tirar toda a história a limpo, ela deixa Queimados com a ajuda do melhor amigo, Tadeu (João Fernandes), e se muda para Duque de Caxias, onde é acolhida pela amiga de sua falecida mãe, Carla (Mariana Santos), dona de uma lanchonete. Controladora, ela pega no pé dos filhos, Raissa (Dora de Assis) e Thiago (Danilo Maia).
O pai da filha de Rita é um mistério na trama e mal sabe ela que a criança foi adotada por Joaquim (Joaquim Lopes) e Lígia (Paloma Duarte), um casal da Zona Sul carioca, pais de Filipe (Pedro Novaes), um estudante de Direito que adora surfar nas horas livres. 
Nem precisa dizer que Rita enfrentará o que for preciso para recuperar a guarda da filha, né? Logo de cara, ela terá dificuldades para provar que pode ser uma boa mãe. E a maior pedra no caminho da jovem será a irmã de Lígia, Lara (Rosanne Mulholland), uma advogada ‘workaholic’, ambiciosa e competitiva, que abre mão da ética para conseguir o que quer. No intuito de defender os interesses da família, mas com uma visão de mundo bem diferente de Lígia, Lara vai dificultar muito a relação entre a jovem e a família que adotou sua filha. 
Rita vai tentar com todas as forças se aproximar da filha. Nem que pra isso - escondida - seja preciso seguir a pequena durante os passeios matinais por Ipanema. Quem logo percebe a aproximação da adolescente é Filipe, que encantado pela sua beleza, e percebendo o amor que tem ela pela criança, se sensibiliza. Os dois acabarão se aproximando e esse encontro promete! 
Só que uma situação violenta e inesperada une a trajetória da mãe adolescente, Thiago e Raissa à de outros jovens até então desconhecidos. Dentro de uma van, eles e mais três adolescentes – Jaqueline (Gabz), Guga (Pedro Alves) e Anjinha (Caroline Dallarosa) – presenciam a retirada truculenta de um rapaz do interior do veículo por homens armados. Diante do impasse entre contar ou não o que viram à polícia, eles criam um grupo em uma rede social – o Deu Ruim – e, a partir daí, se tornam grandes amigos, capazes de se apoiar mutuamente para lidar com os mais diversos problemas. 
“Malhação – Toda forma de Amar” estreia amanhã, a partir das 5 e meia da tarde, na Globo.

quinta-feira, 11 de abril de 2019

Aberturas de Novelas - Alegrijes y Rebujos (Televisa, 2003)

Pôster da novela "Alegrijes y Rebujos"
Divulgação: Televisa

Em 2003, Rosy Ocampo produziu "Alegrijes y Rebujos" para a Televisa. A história original é de Palmira Olguín, que também assina a versão para a TV ao lado de Carmen Sepúlveda e Miguel Ángel Solá. No México, a trama foi exibida às 16 horas, na antiga faixa destinada às novelas infantis.
Nesta história, a pequena Sofía (María Chacón) mora ao lado de uma mansão que desperta a fascinação dos próprios vizinhos e de estranhos que chegam por lá. Segundo conta a lenda, esta sombria casa pertenceu a um milionário excêntrico chamado Aurelio Granados (Hector Ortega), morto há muitos anos, cujo espírito, afirmam alguns, ainda ronda a mansão.
Com uma madrasta ciumenta, um pai ausente e um irmão tedioso, Sofía já possui problemas suficientes. Mas, como curiosa que é, resolve investigar se é de fato verdade que existem fantasmas na mansão. Quando ela se depara com Chon (Salvador Sánchez), sua coragem enfraquece. Chon é um estranho sujeito que trabalhou como empregado de Aurélio e continua morando na casa. 
Um incidente leva Sofía a entrar às escondidas na mansão. Na tentativa de recuperar uma foto de sua falecida mãe, ela conhece Alfonso (Miguel Martínez), o sobrinho neto de Chon que acabou de chegar do interior, e descobre que Aurelio não está morto.
Ao longo de sua vida, Aurelio acumulou dinheiro, prestígio, aborrecimentos e desafetos. Dessa forma, resolveu mudar sua maneira de agir e pensar, tornando-se um homem diferente. Ele encontra em Sofía e Alfonso a alegria que estava buscando durante seus longos anos de reclusão. Para Aurelio, Sofía e Alfonso são “alegrifes”, uma palavra inventada por ele mesmo, com a qual designa as pessoas que desfrutam da vida e das brincadeiras, que nunca perdem as esperanças, que compartilham nas horas boas e ruins e que acima de tudo, conservam o dom maravilhoso da surpresa e da inocência. Para identificar os não “alegrifes”, Aurelio tem outra palavra: “rabujos”, que são as pessoas que somente buscam as coisas materiais, que cultivam a inveja e o egoísmo, que estão atentos a tudo, menos à verdadeira felicidade.
Aurelio, Sofía e Alfonso vivem incríveis aventuras, que compartilham com outras crianças do bairro: a pequena Nayelí (Nora Cano) e seu irmão Ricardo (Diego González), Ernestina (Michelle Alvarez), Pablo (António Hernández) e inclusive Esteban (Jesús Zavala), o antipático irmão de Sofía.
Ao conhecer a história de cada uma das crianças, e o comportamento de seus pais que estão se transformando em verdadeiros “rabujos”, Aurelio decide transformar sua mansão em um clube. Para isso, ele conta com o apoio de excelentes colaboradores: uma bela professora de música chamada Angélica (Jacqueline Bracamontes), que tem como noivo Rogelio (Sebastián Rulli), um tremendo picareta e um consumado “rabujo”; e Bruno (Luis Roberto Gusmán), o instrutor de educação física que conseguiu vencer por seus próprios méritos, pois foi criado sozinho nas ruas. Entre Angélica e Bruno surgirá um terno amor “alegrife”, mas que será posto a muitas provas.
Com a chegada de Helga (Rosa María Bianchi), sua antiga esposa, à vizinhança, a saúde de Aurelio fica fragilizada. Além de ser uma “rabuja”, Helga também é bruxa.
Quando Aurélio morre, Helga vê a oportunidade ideal para apoderar-se de tudo e apagar os sonhos que o velhinho deixou semeados no clube “alegrifes”. Mas a magia que envolve o lugar sobrevive, criando uma fantástica, emocionante e divertida luta de forças entre os “alegrifes” e os “rabujos”.
"Alegrijes y Rebujos" chegou ao Brasil em 2004 com o título de "Alegrifes e Rabujos". Protagonizada pelos participantes do "Código F.A.M.A", um programa infantil de novos talentos, a novela misturava "defeitos especiais", uma trilha musical extensa e personagens carismáticos. As aventuras de Sofía e sua turma eram cheias de fantasia e cumpriram muito bem o papel de entreter a criançada. Entre as muitas novelas infantis exibidas pelo SBT, "Alegrifes e Rabujos" faz parte da memória afetiva de uma geração e poderia render uma excelente versão nacional.
Na coluna desta semana, confira a abertura da novela com o som original. Na exibição do SBT, o tema principal foi interpretado pelos dubladores da novela. Aperte o play e cante se lembrar: "♪♫♪♫♪ És um Alegrife, a tua vida é sempre um céu azul... ♪♫♪♫♪".

Créditos: Televisa

terça-feira, 9 de abril de 2019

Trilhas de novelas - Soy loco por ti América (América)

Foto: Reprodução

Em 2005, Glória Perez trouxe o mundo dos rodeios e abordou a questão da imigração ilegal para os Estados Unidos na novela "América".
Nesta história, Sol (Deborah Secco) é uma moça humilde, determinada e de bom caráter que mora em Vila Isabel, bairro da Zona Norte do Rio de Janeiro. O que mais a preocupa na vida é a instabilidade financeira. Sol não chega a querer ser rica, mas ela adoraria ter uma renda melhor, uma casa própria e uma certa tranqüilidade. Tudo por meio do trabalho, pois ela nem pensa em ser uma desocupada, muito menos em ser sustentada por marido.
É por isso que Sol sonha morar nos Estados Unidos. Ela acredita que naquele país as pessoas têm muito mais oportunidades do que no Brasil. Desde pequena, ouve histórias de gente que foi morar lá e conseguiu se fazer na vida, juntar um bom dinheiro e até garantir o bem-estar dos familiares e parentes. O problema é que ela não consegue nem visto de turista para os Estados Unidos. Então, Sol decide imigrar para a América de forma ilegal.
A vida de Tião (Murilo Benício) só é parecida com a de Sol na pobreza. Assim como ela, Tião sempre viveu com muito pouco. Mas as semelhanças param por aí. Ele mora em Boiadeiros, no interior de São Paulo e é peão de rodeio profissional. É uma vida difícil, porque nunca se sabe se o peão volta vivo da arena. Tião enfrenta o perigo, mas sempre apegado a sua fé, contando com a proteção de sua santinha, Nossa Senhora Aparecida.
O sonho de Tião é ter dinheiro para montar a fazenda que seu falecido pai não teve condições de erguer. E é com os rodeios que ele pretende chegar lá, tornando-se um grande campeão nacional e internacional. Seu pai morreu tentando encontrar diamantes no garimpo, quando Tião ainda era pequeno, e não pôde realizar seu sonho. Mas o jovem peão tem certeza de que vai conseguir.
Quando Sol e Tião se encontram, por acaso, em um rodeio, é amor à primeira vista. A princípio, eles não se entendem muito bem, apesar da forte atração. Mas não demoram para se acertar e fazer mil planos, imaginando toda uma vida juntos. O que separa um do outro são justamente seus sonhos, incompatíveis: ele quer fincar raízes em sua terra; ela só consegue conceber a felicidade fora do Brasil. Se Tião for com Sol, seu sonho será jogado fora. Se ela ficar com ele, o tão desejado salário em dólar nunca virá.
Depois do grande sucesso de "O Clone", Glória Perez repetia a parceria com o diretor Jayme Monjardim. No entanto, o que deu tão certo na novela anterior não se repetiu em "América". O desentendimento de ideias refletiu no andamento da trama, culminando com a saída de Monjardim com 38 capítulos gravados.
Na nova etapa de "América", agora sob a direção de Marcos Schechtman, vários ajustes foram realizados, entre eles um novo tema musical para a novela, uma nova abertura, mudanças no enredo e em alguns perfis dos personagens, deixando a história mais dinâmica e caindo no gosto do público. Com a pouca química dos protagonistas, cada um ganhou um novo par romântico. Dessa forma, Sol passou a se envolver com o americano Eddie (Caco Ciocler) e Tião ganhou uma nova oportunidade com a veterinária Simone (Gabriela Duarte).
Em "América" também foi criada grande expectativa em torno dos personagens Júnior (Bruno Gagliasso) e Zeca (Eron Cordeiro), que interpretavam um casal homoafetivo. A novela marcaria época ao exibir o primeiro beijo gay em uma novela da Globo, mas a esperada cena não aconteceu. Tal façanha só iria ao ar 9 anos depois na novela "Amor à Vida", de Walcyr Carrasco.
Na coluna desta semana, vamos relembrar a versão da música Soy loco por ti América. A música interpretada por Ivete Sangalo marcou a nova virada na novela.

 

segunda-feira, 8 de abril de 2019

Conheça os personagens de "A que não podia amar"

Foto: Reprodução

Daqui a algumas horas, Ana Brenda continua na tela do SBT com "A que não podia amar", uma novela produzida no México pela Televisa entre 2011 e 2012. Chegou a hora de conhecer os principais personagens desta história. 

Divulgação: Televisa

Ana Paula Carmona (Ana Brenda Contreras): Mulher corajosa e de grande personalidade. Ela adora seu irmão Miguel e ama sua tia Rosaura, que cuidou deles desde que eram crianças, quando sua mãe morreu. Ana Paula se esforça em seu trabalho como enfermeira para sustentar seu irmão e a tia. Ele acredita no amor verdadeiro e o encontra ao conhecer Gustavo.

Divulgação: Televisa

Rogério Montero (Jorge Salinas):  Homem temperamental, inteligente e rude. Ele sofreu um terrível acidente que mudou sua vida, fazendo com que ele se tornasse uma pessoa ainda mais dura. Se apaixona por Ana Paula e tenta mantê-la ao seu lado a todo custo.

Divulgação: Televisa

Gustavo Durán (José Ron): Ele é um talentoso engenheiro hidráulico, nobre e de bons sentimentos. Ele se sacrifica por amor e sabe se conter por conta da mulher que ama. Desde o primeiro momento que vê Ana Paula, ele sente que está diante do amor da sua vida.

Divulgação: Televisa

Bruno Rey (Julián Gil):  Grande advogado que usou seu talento para coisas ilícitas. É calculista e manipula as pessoas conforme sua conveniência. Odeia Rogério na mesma intensidade que ama Ana Paula. Ele decide usar a jovem como isca para tentar roubar  o dinheiro de Rogério. 

Divulgação: Televisa

Cintia Montero Báez (Susana González): Mulher caprichosa, sedutora e segura de si. Ela sente que está perdendo os anos sua vida na fazenda em que seu irmão Rogério lhe obrigou a morar. Ela se apaixona por Gustavo, que lhe faz mudar e ver a vida de uma forma diferente.

Divulgação: Televisa

Miguel Carmona Flores (Osvaldo Benavides): Jovem imaturo e irresponsável, se envolve em grandes problemas, dando trabalho para sua família. Embora seja cortejado por Daniela, ele não a corresponde.

Divulgação: Televisa

Elias Ríos (Fabián Robles):  Homem humilde, rude e muito sedutor. É o capataz da Fazenda Del Fuerte. Ele tem um relacionamento secreto com Cintia, embora saiba que nunca terá algo mais sério com ela. É a mão direita de Rogério. Mulherengo convicto, brinca com os sentimentos de Consuelo.

Divulgação: Televisa

Daniela Gutiérrez (Ingrid Martz): É a melhor amiga e confidente de Ana Paula. Ela ama Miguel e se sente frustrada por não ser correspondida por ele.

Divulgação: Televisa

Rosaura Flores Nava (Ana Bertha Espín): Astuta, chantagista, mentirosa e muito ambiciosa, é capaz de vender até sua sobrinha. Para solucionar seu futuro, é capaz de se passar por uma mulher doente para manter Ana Paula e Miguel por perto.

Divulgação: Televisa

María Gómez (Ana Martín): Mulher humilde, atenciosa, materna e excelente cozinheira. Vive na Fazenda Del Fuerte desde menina. Ali conheceu o pai de Rogério e Cintia e cuidou deles como se fosse sua segunda mãe. Assim que Ana Paula chega à fazenda, Maria se torna sua protetora.

Divulgação: Televisa

Consuelo Herrera (Michele Ramaglia): Jovem simples e doce, trabalha na Fazenda del Forte ajudando sua madrinha Maria com as tarefas de cozinha e em tudo o que é necessário na casa. Por amor, ela vai cometer erros e sua dignidade será pisoteada.

Divulgação: Televisa

Vanessa Galván (Mar Contreras): Muito parecida ao tipo físico de Ana Paula, ela abandonou Rogério depois do acidente. É caprichosa, arrogante e superficial, é capaz de fazer coisas indevidas para tirar proveito das situações.

Divulgação: Televisa

Firmino Peña (Ignacio López Tarso): Homem sábio, simples e gentil. Experiente pescador e grande amigo de Gustavo. Ele será o responsável por aproximar Ana Paula e Gustavo e será o grande conselheiro dos dois.

Fonte: Televisa

sexta-feira, 5 de abril de 2019

"Estrela-Guia" volta ao ar pelo Canal Viva

Foto: Reprodução

A partir do dia 8 de março, um grande sucesso está de volta à TV pelo canal Viva. Trata-se de "Estrela-Guia", novela produzida pela TV Globo em 2001, sendo a primeira e única novela protagonizada por Sandy, com quem divide créditos com Guilherme Fontes. A trama é de autoria de Ana Maria Moretzsohn, com direção geral de Denise Saraceni e Carlos Araújo.
A trama de "Estrela-Guia" começa no início dos anos 1980, quando Bob (Marcos Winter) e seu amigo Tony (Guilherme Fontes) trabalham em uma corretora de valores. Em férias na Califórnia, Bob conhece Catherine (Maitê Proença), que nasceu e foi criada numa comunidade hippie, e se casam. Bob vende tudo o que tem e compra, no interior de Goiás, uma fazenda a que dão o nome de Jagatah (em sânscrito, “Universo”). Neste lugar, junto com Catherine, funda a comunidade Arco da Aliança. Tony batiza a filha de Bob e Catherine, que já está com dois anos, lhe dando o nome de Cristal.
Bob, agora chamado Hanuman (em hindu, uma entidade sagrada), e Catherine, agora Kalinda (Kali, um dos nomes da deusa hindu Sakti), acolhem pessoas dispostas a viver com altruísmo e onde todos acreditam que a virada do milênio recriará esperanças de paz entre os homens. Eles vivem em harmonia com a natureza, não há dinheiro nem posses, tudo é de todos. Cristal é a “estrela-guia” da comunidade e com sua linda voz canta mantras que repetem os preceitos de harmonia em que todos creem.
Aos 17 anos, Cristal (Sandy) fica órfã e reencontra o padrinho Tony, que não via há quinze anos. Ele, na condição de seu tutor, vai a Goiás buscá-la para morar no Rio de Janeiro. Estressado pela vida urbana, Tony é quase vinte anos mais velho que Cristal. Há cerca de três anos, namora – sem muito entusiasmo – a mimada e fútil socialite Vanessa (Carolina Ferraz), que não hesita em usar o poder do dinheiro para prendê-lo. Ela é viúva e mãe de Gisela (Thaís Fersosa), adolescente rebelde com quem vive em conflito.
Tony acaba percebendo, assim como Cristal, que estão apaixonados. Ele fica confuso e se culpa por este sentimento intenso. Assustado, Tony procura em Jagatah por Purunam (Nelson Xavier), uma espécie de líder no Arco da Aliança, que o convence de que os motivos que ele alega ter para não se envolver com Cristal são tolos. Conta-lhe que a própria Kalinda sempre falou sobre os dois como um casal ideal. Com a ajuda da comunidade, Purunam propicia o encontro dos dois para que Tony declare seu amor.
Ao perceber que Cristal ameaça a sua relação com Tony, Vanessa vai jogar pesado para afastar a jovem, contando com a ajuda de sua quase-futura sogra, Carlota (Rosamaria Murtinho), e, depois, aliando-se à “perua country” Dafne Pimenta (Lília Cabral), mulher do fazendeiro Alaor Pimenta (Sérgio Mamberti). Inescrupulosa, Dafne comanda os negócios do marido, que faz todas as suas vontades. Entre seus planos, está expulsar a comunidade do Arco da Aliança. Para isso, não hesita em usar o seu filho Carlos Charles (Rodrigo Santoro), de caráter duvidoso.
Quando Cristal se torna a única herdeira de Jagatah, Dafne estimula Carlos Charles a seduzi-la. Charmoso, ele consegue encantá-la por um tempo, mas é Gisela quem acaba caindo em suas garras. Cristal, por sua vez, cai nos braços de Tony, muda-se para a comunidade e marca o noivado para o dia de seu aniversário de 18 anos. Juntos vão transformar Jagatah em um exemplo de fazenda moderna, fonte de renda para os que lá vivem, sem sacrificar seus valores. E viver pela paz no novo milênio.
"Estrela-Guia" estreia nesta segunda-feira, às 11 e 45 da manhã, pelo Canal Viva.

quinta-feira, 4 de abril de 2019

Fique por dentro da história de "A que não podia amar"

Pôster na novela "La que no podía amar"
Divulgação: Televisa

Ana Paula (Ana Brenda Contreras) mora em Chiapas, onde estuda enfermagem. Sua vocação para cuidar dos doentes nasceu quando precisou cuidar de sua mãe por um longo tempo antes de morrer. Prestes a terminar o seu curso, Ana Paula conhece Bruno (Julián Gil), o advogado do temido Rogelio Montero (Jorge Salinas), que lhe oferece um trabalho para cuidar de seu chefe. Após um acidente, Rogelio ficou paralítico e dependente de uma cadeira de rodas. O salário é muito bom e Ana Paula aceita a proposta para ajudar financeiramente sua tia Rosaura (Ana Bertha Espín).
Ana Paula chega à "Fazenda Del Fuerte" para cuidar de Rogelio. Ela é surpreendida ao descobrir que seu paciente é um homem difícil, amargurado, ressentido com a vida, e de personalidade forte. Rogelio foi abandonado por sua namorada Vanessa (Mar Contreras) depois do acidente.
Além de Rogelio, na fazenda também vive sua irmã Cynthia (Susana González), que na realidade está ali porque ele a obrigou ficar em troca de manter seu estilo de vida ao qual está acostumada. Para não ficar entediada, Cynthia se envolve com Efraín (Fabián Robles), o capataz da fazenda. Seu sentimento por Cynthia é sincero, mas ela somente o quer como diversão. Na fazenda também vive María (Ana Martín), a babá de Rogelio e Cynthia, que sempre foi uma mãe para eles.
A arrogância e o gênio difícil de Rogelio, atrapalham a rotina de trabalho de Ana Paula. Certo dia, ela decide não permitir mais sua grosserias e pede demissão. Ao sofrer um acidente no rio, Ana Paula é resgatada por Gustavo Durán (José Ron), um jovem engenheiro, muito bonito e trabalhador. Os dois se apaixonam profundamente, mas os planos futuros do casal não avançam depois que Gustavo sofre um acidente com seu pai e Ana Paula acredita que ele está morto.
Enquanto isso, Rogelio descobre que está apaixonado por Ana Paula. Ele pede para Bruno procurá-la e pedir que ela volte para o rancho. Inicialmente, Ana Paula se recusa, mas quando Miguel (Osvaldo Benavides) provoca um terrível acidente que poderia mandá-lo para a cadeia, Rogelio se oferece para ajudá-lo desde que ela aceite sua proposta de casamento. Dessa forma, Ana Paula se sacrifica para salvar o irmão e se casa com Rogelio.
Tempos depois, Gustavo reaparece para encontrar a Ana Paula, mas Rosaura, que vê no casamento de sua sobrinha com Rogelio a solução para todos os problemas econômicos, diz ao rapaz que Ana Paula não quer voltar com ele. Decepcionado, Gustavo decide esquecê-la para sempre.
Quando Ana Paula volta à fazenda como esposa de Rogelio, não imagina o que está por vir. Ela passa a ter vários conflitos com seu marido, a lidar com a humilhação e a inveja de Cynthia, com os problemas de seu irmão, a ganância de Bruno e Rosaura, além de reencontrar Gustavo, o homem que não pode mais amar.

Fonte: Televisa

segunda-feira, 1 de abril de 2019

Fique por dentro da história de "Órfãos da Terra"

Foto: Divulgação

Diversas culturas, crenças, sonhos, sotaques e uma só nação, o Brasil. O casal Laila (Julia Dalavia) e Jamil (Renato Góes) desembarca no país para tentar viver o amor que os uniu ainda no Oriente Médio. Ela, uma refugiada. Ele, empregado de um poderoso sheik (Herson Capri), que tomou Laila, à força, como uma de suas esposas. Surpreendidos pela paixão e fugindo de uma nação em guerra, os dois unem forças para tornar esse amor possível. E o destino os leva para um país que tem por tradição o acolhimento e o convívio pacífico com as diferenças.
No pano de fundo dessa história de amor, o universo de pessoas de diversos lugares do mundo, refugiados de guerras, de conflitos políticos ou deslocados por razões econômicas ou acidentes naturais. A novela vai mostrar que essas pessoas vêm e continuam vindo para o Brasil para recomeçarem suas vidas, enfrentando muitas adversidades. Mas trazendo um patrimônio cultural que nos enriquece e constitui. Uma só ancestralidade vivendo sobre a mesma terra.
Na Síria, em um dia de alegria e de celebração para a família Faiek, Laila vê seu destino mudar repentinamente. Um bombardeio os atinge, transformando a vida de uma família estruturada e bem-sucedida em pesadelo. Com a casa em ruínas e a fictícia cidade de Fardús em guerra, a jovem estudante Laila e sua família – o pai Elias (Marco Ricca), a mãe Missade (Ana Cecília Costa) e o irmão Kháled (Rodrigo Vidal) – são forçados a deixar a Síria em direção ao Líbano, para fugir do conflito e ter a chance de tratar Kháled, gravemente ferido.
De posse do pouco que lhes restou, em dinheiro e pertences, os Faiek vão parar em um campo de refugiados, em Beirute, onde Laila cruza olhares com Jamil Zarif, que está no campo, acompanhando o patrão, o sheik Aziz Abdallah, em busca de mão de obra para suas empresas.
Mas, assim como Jamil, Aziz também se interessa por Laila e, acostumado a comprar tudo que deseja, oferece ao pai da jovem um contrato de casamento que pode salvar sua família da penúria. Elias recusa a proposta. Mas o estado de Kháled se agrava e Laila se oferece em sacrifício, em troca do tratamento do irmão. Contudo, logo após a cerimônia de casamento, a jovem fica sabendo que o irmão não resistiu à cirurgia. Laila, então, deixa a mansão do sheik na noite de núpcias, antes de o casamento ser consumado, reencontra a família e, com eles, traçam um plano de fuga para São Paulo, no Brasil, onde os Faiek têm parentes.
Sem saber que a esposa fugitiva do patrão é justamente a mulher por quem se apaixonou no campo de refugiados, Jamil é surpreendido por uma missão: embarcar em um navio com destino ao Brasil e trazer de volta para Beirute a mulher que Aziz acredita ser sua propriedade. Antes, porém, de embarcar, Jamil descobre que essa mulher é a sua Laila. A paixão intensa e inesperada que une o casal é maior do que o compromisso que Jamil assumiu com Aziz: casar-se com a ardilosa Dalila (Alice Wegmann), a filha preferida de seu patrão.

Fonte: TV Globo / GShow