Notícias

terça-feira, 22 de janeiro de 2019

Coluna: Adela Noriega em 5 faces


Considerada uma das atrizes mais queridas das telenovelas, Adela Noriega começou muito jovem na carreira artística. Enquanto suas novelas não passavam desapercebidas, sua vida pessoal nunca foi exposta aos holofotes. Há mais de 10 anos afastada da TV, vamos relembrar as suas 5 faces mais marcantes.


Quinceañera (1987): Nesta novela adolescente, Adela interpretou Maricruz, uma jovem de origem humilde que era apaixonada pelo mecânico Pancho (Ernesto Laguardia). Sabendo da condição do rapaz, Carmen (Julieta Egurrola), mãe de Maricruz, não aprova a relação. Ela deseja fazer uma festa de quinze anos para Maricruz bem acima das possibilidades da família, e sonha com a filha se casando com um milionário, como Sergio (Fernando Ciangherotti), o primo de Beatriz (Thalía). Maricruz também é alvo das investidas de Memo (Sebastián Ligarde), um perigoso líder de uma gangue de adolescentes bandidos e usuários de drogas.
"Quinceañera" foi a primeira novela adolescente a abordar temáticas polêmicas como as drogas e o estupro. Nesta história, Adela dividiu créditos com Thalía. Aqui se via o início de duas futuras estrelas das telenovelas.


Guadalupe (1993): Depois de emplacar seus primeiros sucessos na Televisa, Adela é contratada pela Telemundo e protagoniza "Guadalupe" ao lado de Eduardo Yañez. Nesta história, Guadalupe é fruto do relacionamento do poderoso empresário Ezequiel Zambrano (Miguel Gutiérrez) com sua empregada. Ficou órfã assim que nasceu e viveu ao lado de Catalina (Isaura Mendoza), a melhor amiga de sua mãe. Anos depois, ela decide sair em busca de seu pai. O destino coloca pai e filha frente a frente, mas também Alfredo Mendoza (Eduardo Yañez), seu grande amor, que busca ajustar contas com Ezequiel pela morte de toda a sua família.
"Guadalupe" foi um dos grandes sucessos da Telemundo na década de 90. Além da história, parte do sucesso se deve à química entre Adela Noriega e Eduardo Yañez, que já havia sido testada em "Dulce Desafio" (Televisa, 1988) e se repetiria anos mais tarde, em "Fuego en la Sangre" (Televisa, 2008).


María Isabel (1997): Em seu retorno triunfal à Televisa, Adela tem o desafio de interpretar a heroína da nova versão de um clássico. Em "María Isabel", a atriz interpreta uma índia que ao conquistar a maioridade vai buscar trabalho na capital. Após algumas aventuras, ela acaba indo parar na mansão do arquiteto Ricardo Mendiola (Fernando Carrillo) e acaba se apaixonado por seu patrão. Quando os dois se casam, María Isabel terá que enfrentar as provocações e as críticas da alta sociedade por causa de sua origem humilde. 
Em "María Isabel", Adela se tornaria a grande estrela das novelas da Carla Estrada, sendo convidada para outros futuros projetos da produtora.


El Privilegio de Amar (1998): Depois do grande sucesso de "María Isabel", Adela Noriega volta a repetir a parceria com a produtora Carla Estrada. Nesta nova versão da novela "Cristal", a atriz viveu Cristina, uma jovem que foi abandonada ao nascer e passou boa parte de sua vida no convento. Quando decide sair em busca do sonho de ser modelo, ela aluga um apartamento que divide com Lorenza (Sabine Moussier), uma jovem sincera, mas descontente, e com Magnólia (Isadora González), uma estudante universitária e trabalhadora incansável. Ao conseguir trabalho na casa de moda da estilista Luciana Duval (Helena Rojo) Cristina não imagina que está perto de sua verdadeira mãe. Mas nem tudo são flores, pois Luciana impedirá que seu enteado Víctor Manuel (René Strickler) tenha algum relacionamento com ela, nem que para isso precise prejudicá-la.
"El Privilegio de Amar" teve a difícil missão de substituir "La Usurpadora" tanto no México como no Brasil. Em mais um trabalho de sucesso, Adela emocionou os telespectadores com esta grande história.


Amor Real (2003): Em mais uma parceria de sucesso com Carla Estrada, Adela protagoniza uma novela de época ao lado de Fernando Colunga. Nesta história, sua personagem é Matlide Peñalver y Beristain, a filha de um renomado general e uma bela aristocrata. Apaixonada pelo tenente Adolfo Solís (Mauricio Islas), um homem sem posses, ela é obrigada por sua mãe a se casar com um homem rico para salvar a família da ruína. É aí que aparece Manuel Fontes Guerra (Fernando Colunga), um fazendeiro dono de uma grande fortuna. Com o passar do tempo, a relação tumultuada acaba se transformando em amor.
"Amor Real" foi uma novela bastante elogiada pela sua qualidade de produção e por seu elenco de luxo. Adela e Colunga formaram um dos casais mais inesquecíveis das novelas mexicanas.

0 comentários:

Postar um comentário